decimo-terceiro

Quer investir seu décimo terceiro? Veja as opções em imóveis!

O décimo terceiro é uma bonificação, garantida por lei, e concedida no fim do ano, a trabalhadores que possuem carteira assinada. O valor corresponde a 1/12 do salário que a pessoa recebe, mensalmente, durante o ano. A maioria das empresas divide o 13º em duas parcelas, pagando a primeira até novembro e a segunda até meados de dezembro.

No Brasil, o décimo terceiro passou a ser garantido em lei no ano de 1962, trazendo um benefício extra ao trabalhador. Antes disso, algumas empresas ofereciam gratificação de fim de ano aos seus colaboradores, mas não era regra. 

Depois que o 13º foi transformado em lei, além de profissionais com a carteira assinada, recebem o benefício os aposentados, pensionistas do INSS e quem trabalhou, no mínimo, 15 dias por mês.

Você está com a primeira parcela do décimo terceiro na conta e pensando como pode aplicar o dinheiro, enquanto espera a segunda parcela cair? Neste artigo, vamos apresentar possibilidades de investimento relacionadas a imóveis. Você vai aprender:

  • Como calcular o décimo terceiro?
  • Como investir o décimo terceiro em imóveis?
  • Quais são as vantagens de investir em imóveis com o 13°?

 

Quer aumentar o saldo bancário e fazer seu ganho extra de fim ano render? Então, siga a leitura!

 

Como calcular o décimo terceiro?

Calcular o 13º e quanto exatamente você terá disponível para investir é simples. Basta dividir o valor do seu salário por 12. Depois, multiplicar pelo número de meses trabalhados durante o ano. Na primeira parcela, não haverá cobrança de impostos, como INSS e imposto de renda. Na segunda, sim.

Agora vamos a um exemplo prático. Vamos supor que você trabalhou nos 12 meses do ano, recebendo um salário bruto de R$ 6.000. A primeira parcela será calculada da seguinte forma:

R$ 6.000 / 12 = R$ 500

R$ 500 x 12 meses trabalhados = R$ 6.000

R$ 6.000 / 2 = R$ 3.000 na primeira parcela.

 

Se você está no primeiro ano de serviço e trabalhou menos de 12 meses no ano, o décimo terceiro é calculado da mesma forma, trocando apenas o fator da multiplicação. A seguir, considerando os mesmos R$ 6.000 de remuneração, veja como seria o cálculo para oito meses de trabalho, por exemplo: 

R$ 500 x 8 meses trabalhados = R$ 4.000

R$ 4.000 / 2 = R$ 2.000 na primeira parcela.

O cálculo para a segunda parcela é o mesmo, mas haverá cobrança de INSS e imposto de renda nela. Ou seja, o valor é um pouco menor na segunda parcela por causa dos descontos.

 

Como investir o décimo terceiro em imóveis?

As festas de fim de ano podem trazer gastos maiores à família. Depois, vem janeiro, com os impostos do início de ano. Por isso, é fundamental adotar a cautela. Se você não se programar, o décimo terceiro estará comprometido antes de cair na conta! Com disciplina, entretanto, é possível dar um destino muito melhor ao dinheiro. 

Sabendo que o investimento em casas e apartamentos é um dos mais rentáveis, elencamos algumas possibilidades para você aplicar o 13º com sabedoria. Confira!

 

Entrada

Se você está pensando em usar o décimo terceiro para obter ganho material, dar entrada em um imóvel é um dos melhores caminhos. Para investir neles, não é preciso ter uma conta bancária cheia de dinheiro.

Hoje em dia, os financiamentos para compra de imóveis podem ser feitos com valores não tão altos. Ou seja, é possível dar o primeiro passo sem fazer um grande investimento. O 13º pode ser usado, por exemplo, para você complementar o valor de entrada em uma casa ou apartamento.

 

Antecipação de parcelas

Se você já começou o financiamento, também pode utilizar o décimo terceiro para consolidar a compra do imóvel. Nesse caso, a bonificação concedida pela empresa pode servir para antecipar uma parte do que ainda falta pagar. Ou seja, você pode usar o dinheiro para adiantar as prestações do financiamento.

Fazendo isso, é possível diminuir a quantidade de parcelas do saldo devedor e, em alguns casos, o valor das prestações restantes. Antecipar as parcelas é, também, uma forma de realizar a meta de adquirir o bem, um pouco antes do que foi planejado.

Outra dica: se pretende usar o 13º para quitar o financiamento, negocie e peça um desconto, por exemplo, o abatimento de juros. É bem provável que você obtenha alguma vantagem.

 

Fundo de reserva

O décimo terceiro também pode ser aproveitado como fundo de reserva. Você certamente vai utilizar o montante para despesas extras e que acompanham a compra de um imóvel. É o caso, por exemplo, do pagamento do ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis). Esse imposto corresponde a cerca de 2% do valor total da moradia e, dependendo da cidade, existe uma pequena variação. 

Veja, a seguir, outros destinos possíveis para o seu décimo terceiro como fundo de reserva:

  • Pagamento de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano do imóvel);
  • Registro da escritura, documento que formaliza a transação imobiliária;
  • Certidões de cartório, cobradas de acordo com o valor do imóvel;
  • Serviço de despachante;
  • Valores referentes a seguros;
  • Taxas sobre a avaliação do imóvel.

 

Parcelas atrasadas

Sempre é melhor evitar o atraso de qualquer pagamento, mas também é verdade que o dinheiro pode faltar em determinados momentos. Se está nessa situação, não pense duas vezes: use esse dinheiro extra do décimo terceiro para acertar as parcelas em atraso. Você tem que fazer isso, inclusive, para evitar a perda do imóvel. 

Após deixar de pagar as parcelas de um imóvel, não demora para que o comprador comece a se incomodar. Na terceira prestação em atraso, por exemplo, recebe notificação por escrito do SFH (Sistema Financeiro da Habitação). Se não for capaz de acertar a dívida, ainda que possa recorrer à Justiça, você corre o risco de perder o bem. 

Quem tem parcelas em atraso deve se preocupar ainda com o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário). Depois de 30 dias, o devedor é intimado a fazer o pagamento via Cartório de Registro de Imóveis. Caso não atenda ao pedido em 15 dias, no máximo, o banco pode tomar o bem para, em seguida, levá-lo a leilão. Nesse estágio, o comprador não tem mais direitos.

 

Imóveis na planta

Outra excelente forma de usar seu décimo terceiro é quitar um imóvel adquirido na planta. Aqui, vamos deixar mais uma dica importante. Se você pretende comprar, ou comprou um imóvel na planta, não é uma boa ideia quitá-lo logo depois de fechar o negócio.

Esse cuidado vai protegê-lo, por exemplo, dos possíveis atrasos na obra. Por isso, em relação a imóvel na planta, o ideal é guardar o 13º e usar o dinheiro mais perto ou somente quando receber as chaves.

 

Quais as vantagens de investir em imóveis com o 13°?

 

Rentabilidade

A alta rentabilidade do setor imobiliário é um dos principais atrativos para os investidores. Existem duas modalidades para ganhar dinheiro com casas e apartamentos: aluguel e revenda. Nos dois casos, é possível fazer um bom dinheiro. Na revenda, acertando na localização e esperando a valorização, o retorno do investimento pode ser muito alto. Por isso, investir o décimo terceiro em imóveis é uma medida acertada.

 

Renda passiva

Esse é mais um fator que alavanca a renda com imóveis. O setor é um dos poucos que possibilita ao dono uma renda passiva. Ou seja, o investidor obterá retorno sem um esforço direto, que lhe exija atenção por dias, meses e anos. O único esforço é encontrar uma oportunidade e colocar seu dinheiro nela.

 

Valorização

Que tal colocar seu dinheiro em algo que vai perdurar e se valorizar mais e mais ao longo dos anos? Imóveis são bens duráveis, que não perdem valor com o passar do tempo. Se estiverem em regiões em pleno desenvolvimento, a tendência é que o imóvel passe a valer ainda mais. Ou seja, se for preciso repassar o bem, você provavelmente vai ganhar dinheiro em cima disso.

 

Segurança

Você ainda tem dúvidas de que investir em imóveis pode fazer bem ao décimo terceiro? Estamos falando de uma das modalidades de investimento mais rentáveis e estáveis. Um tipo de investimento praticamente imune à quebradeira dos bancos, crises governamentais, políticas e financeiras. Os imóveis também são sinônimo de segurança, porque podem garantir renda por mais de uma geração na família.

 

Patrimônio

A aquisição de um imóvel, naturalmente, aumenta o patrimônio do comprador. Por consequência, a pessoa obtém algumas vantagens na vida. Entre elas, a facilidade para obter linhas de crédito e para negociar investimentos futuros.

 

Alta demanda

Até 2030, haverá uma demanda de 30,7 milhões de novas residências no Brasil. Os dados são da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) e evidenciam a alta procura por moradia em qualquer lugar do país. Nesse contexto, pessoas que podem investir em imóveis, seja para alugar ou revender posteriormente, encontram solo fértil para multiplicar seu dinheiro.

E então, que tal fazer diferente neste ano e, em vez de comprar presente para todo mundo no Natal, investir no seu futuro? Agora que você sabe como pode aplicar seu décimo terceiro de forma mais inteligente, escreva seu caminho! Você e sua família serão os maiores beneficiários dessa escolha.

 

Quer ler mais conteúdo relevante sobre o setor imobiliário? Continue navegando aqui no blog da Construtora MTF.

 

comprar imóvel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *