bicicleta compartilhada em condomínio

Bicicletas compartilhadas no condomínio: como funciona e quais os benefícios?

As bicicletas compartilhadas, não é de hoje, funcionam como alternativa importante para a mobilidade da população, principalmente para distâncias curtas, em diversas capitais brasileiras. Por ser um meio de transporte que evita a poluição, a bike está “invadindo” também os condomínios no país e impactando de forma positiva a qualidade de vida dos moradores.

Neste artigo, explicamos:

 

  • O que é bike sharing;
  • Como as bikes agregam na rotina;
  • Como é o bike share no condomínio;
  • Porque investir em condomínio com bike share.

Se você é adepto da cultura do compartilhamento, das bikes, do meio ambiente e da sua saúde, precisa conhecer mais sobre as bicicletas compartilhadas. Chegou a hora de entender também porque elas estão chegando com força nos condomínios residenciais. Siga a leitura!

 

O que são bicicletas compartilhadas?

As dificuldades no trânsito dos grandes centros urbanos fizeram algumas cidades buscarem alternativas para a mobilidade. Entre as que mais estão ganhando força, destacam-se as soluções associadas ao conceito de compartilhamento de bicicletas, ou bikeshare, ou seja, qualquer configuração onde a mesma bicicleta é compartilhada por mais de uma pessoa.

Existem diversos modelos. Os mais conhecidos são:

 

  • Auto-serviço em estações de ancoragem na rua;
  • Bicicletas no local de trabalho;
  • Hubs em estações ferroviárias;
  • Empréstimos por aplicativo;
  • Bicicletas compartilhadas no condomínio.

Amplamente difundidas na Europa, em cidades como Barcelona, Paris, Londres e Liverpool e Oxford, as bicicletas compartilhadas estão conquistando cada vez mais adeptos nas grandes metrópoles brasileiras.

 

Como as bicicletas agregam na rotina?

 

Mais saúde

Se existisse uma lista das 10 coisas que mais contribuem para a saúde, andar de bicicleta certamente estaria nas primeiras posições. As bicicletas compartilhadas agregam à rotina, primeiramente, porque pedalar traz uma série de benefícios, por exemplo, o emagrecimento. 

Outra razão  é que pedalar é um exercício que acelera o metabolismo e faz o corpo queimar calorias mais rápido. Andando de bike você também vai reduzir o colesterol, prevenir diabetes, controlar a pressão arterial e aumentar o fôlego.

 

Melhorias na mobilidade

Outra importante contribuição das bicicletas diz respeito à mobilidade. Enquanto as cidades encontram-se abarrotadas por fileiras e fileiras de carros, as bikes têm mais procura e são utilizadas como alternativa mais prática de transporte.

 

Conexão com o transporte coletivo

Em Porto Alegre, nos dias úteis, uma das estações de bike mais utilizadas é a do Mercado Público, no Centro. Somente em 2018, ela foi responsável por 56,7 mil viagens de bike na capital gaúcha. O pico foi entre 7h e 9h30, quando muitas pessoas chegam ao centro, de ônibus ou trem, e começam a se deslocar para o trabalho. Ou seja, utilizando bicicletas, as pessoas complementam seus deslocamentos em Porto Alegre.

 

Menos carros nas ruas

Outra contribuição das bicicletas compartilhadas é a diminuição dos carros nas ruas. A Bikxi, de São Paulo, ilustra bem essa melhoria. A empresa utiliza bicicletas elétricas para fazer um serviço de táxi, que os usuários conseguem solicitar por meio de um aplicativo. 

Até 2017, eram 15 mil usuários cadastrados. Através de uma pesquisa, a Bikxi compreendeu que 59% deles utilizam o serviço no trajeto casa-trabalho. Também detectou que 36%, se não tivessem a solução, recorreriam a serviços como táxi, Uber, ou 99.

 

Inovação e tendência

São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Porto Alegre, Belém, Salvador… A lista de cidades brasileiras que entenderam a importância das bicicletas compartilhadas é extensa.

E quando as cidades se transformam, os empreendimentos devem acompanhar essas mudanças. É exatamente o que está acontecendo em alguns lançamentos desde 2018 no Brasil.

Para usar as bicicletas compartilhadas nos condomínios, existem diversas opções, por exemplo, um aplicativo de reserva. O modelo está dando tão certo que, depois de experimentar um lançamento com bicicletário, as construtoras acabam repetindo a ideia nos empreendimentos seguintes.

 

Baixo custo

Em São Paulo, no ano de 2018, havia 117 estações do Bike Sampa e 1,8 mil bikes realizando mais de 1 milhão de viagens por mês. Os dados estão em um artigo publicado  no WRI Brasil, instituto de pesquisa que estimula ideias para proteção do meio ambiente e o bem-estar humano. 

E sabe qual outro grande motivo por trás do sucesso das bikes? O baixo custo, tanto de manutenção, se a pessoa tem a bike, quanto do aluguel, para quem utiliza os sistemas de compartilhamento.

 

Como funciona um bike share em condomínio?

Presente nas maiores cidades brasileiras, as bicicletas compartilhadas também estão chegando aos condomínios da Grande Florianópolis. Isso ocorre em parte porque houve um aumento no uso das bicicletas durante a pandemia, impactando diversos condomínios residenciais

Segundo pesquisa de uma plataforma de conteúdo e serviços para condomínios, a procura por bicicletários em condomínios residenciais aumentou 300%, entre janeiro e junho de 2021, tornando-se um dos fatores mais importantes na escolha do imóvel.

Em 2021 nenhuma cidade, na Grande Florianópolis, oferece sistema de bicicletas compartilhadas, mas o seu condomínio pode ter. Os modelos de bike share para condomínios são inspirados em diversas iniciativas existentes no mundo.

Além dos sistemas com aplicativos, os moradores podem retirar as bikes de outras formas nos modelos de bicicletas compartilhadas em condomínios. 

Uma delas é ir até a estação no condomínio, passar o número do apartamento, uma senha, e o sistema libera a bike de forma automática.

As regras variam conforme o condomínio. Em alguns casos, o morador pode ficar com a bike por 12 horas, em outros, por tempo indeterminado. Geralmente, depois de usar, o condômino devolve a bike à estação. Nada é cobrado, pois o serviço está incluso nas taxas do condomínio.

A Construtora MTF vai entregar um grande empreendimento, o MHaus, em Biguaçu, com um sistema de bicicletas compartilhadas. As manutenções serão feitas pelo condomínio, mas o bike share será entregue pela MTF, com bikes personalizadas pela própria construtora.

 

 

Por que investir em um condomínio com bike share?

Cumprir distâncias curtas com mais facilidade, tirar os carros das ruas, economizar dinheiro. Esses são alguns motivos para morar em um condomínio com bike share.

Mas existem outros, como comodidade, segurança, saúde e qualidade de vida. Se você está prestes a se mudar, pense a respeito! Agora, você pode ter uma vida melhor a partir do seu condomínio.

Gostou da leitura? Continue navegando no blog para encontrar mais novidades sobre o mercado imobiliário. Até a próxima!

 

conheça o MHaus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *