Você conhece a história de Biguaçu?

Uma das cidades mais antigas de Santa Catarina, a história de Biguaçu está intimamente ligada à colonização açoriana no estado. Você conhece todos os detalhes dessa história? Sabe a origem do nome Biguaçu e que a cidade chegou a ser a capital catarinense?

O artigo de hoje conta um pouco do passado de Biguaçu. Também mostra o que é a cidade nos dias de hoje, passando, por exemplo, pelos setores mais importantes da sua economia.

Além disso, você entenderá porque a cidade tem potencial de desenvolvimento e atrai cada vez mais novos moradores e investidores. 

Quer mergulhar no passado de Biguaçu e compreender o futuro da cidade? Então, siga a leitura!

 

A história de Biguaçu desde a sua origem

A história de Biguaçu começa em 1747, quando imigrantes portugueses da Ilha da Madeira, uma das nove do Arquipélago dos Açores, assentaram na região. À época, eles ficaram num lugarejo chamado São Miguel da Terra Firme, o primeiro nome de Biguaçu.

Pouco tempo depois da chegada dos portugueses, foi construída a primeira igreja da cidade. Uma edificação que mantém sua relevância até hoje e continua de pé. 

Trata-se da igreja de São Miguel Arcanjo, cuja história começa em 23 de janeiro de 1751. Seu primeiro vigário foi o Padre Domingos Pereira Machado, responsável pela freguesia de São Miguel a partir de 1752.

 

Capital provisória

A informação está nos registros oficiais da cidade. Embora por um curto período, Biguaçu chegou a ser a capital de Santa Catarina. Isso ocorreu de 10 de outubro de 1777 a 2 de agosto de 1778, quando os espanhóis ocuparam a ilha de Santa Catarina, atual Florianópolis. Na época, espanhóis e portugueses disputavam fronteiras no Sul do Brasil.

Quando os espanhóis invadiram a antiga Desterro – primeiro nome de Florianópolis – os portugueses precisaram deixar a cidade. Como a Capitania de Santa Catarina não poderia ser abandonada, o vice-rei nomeou um militar, que representava a Coroa Portuguesa, e refugiou-se em São Miguel de Terra Firme.

Somente depois de vários acordos a Coroa Portuguesa conseguiu retomar a posse da Ilha, que voltou a ser capital catarinense.

 

Biguaçu se torna independente

Em março de 1833, um ato do conselho administrativo da província elevou a freguesia de São Miguel à vila e criou o município de Desterro. Em maio do mesmo ano, foi criado o município de São Miguel.

O ano de 1833 também marca a instalação da primeira Câmara de Vereadores de Biguaçu, criada para administrar a localidade elevada ao status de município, mas ainda com o nome de São Miguel. 

A gradativa decadência econômica e surtos, principalmente de malária, deixaram São Miguel sem estrutura. O município, então, perdeu prestígio na segunda metade do século 19. 

Em paralelo, um povoado de colonos, que habitavam a margem direita do Rio Biguaçu, começa a ganhar força e importância econômica. Sendo assim, em 1894, a sede de São Miguel é transferida para Biguaçu e, pouco tempo depois, o nome do município foi alterado. Surge a cidade de Biguaçu que todos conhecemos hoje.

 

A origem do nome Biguaçu

Ainda sobre a história de Biguaçu, há um pouco de controvérsia em relação à origem do nome da cidade. Uma das versões mais difundidas indica que se trata de uma palavra indígena, cujo significado é “Biguá Grande”. O Biguá é um pássaro bastante comum na região e encontrado até hoje nas margens do Rio Biguaçu. Também é bem comum em Florianópolis.

O padre Raulino Reitz, no entanto, deixou registrada uma versão diferente no seu livro “Alto Biguaçu”, de 1988. De acordo com o padre, o nome da cidade está relacionado a uma árvore semelhante ao jambolão, que é popularmente conhecida por baguaçu.

O jornalista Ozias Alves Júnior, que era de Biguaçu e morreu de Covid-19 em 2021, também deixou uma pesquisa sobre a origem do nome da cidade. Segundo o estudo de Ozias, desenvolvido com o professor Aryon D. Rodrigues, Biguaçu vem da palavra “Guambygoasu” que significa “grande cerca de paus”. O termo, segundo a pesquisa, era usado pelos antigos índios Carijós que viviam na cidade.

 

Biguaçu dos tempos atuais

Na origem, a história de Biguaçu está marcada pela chegada dos açorianos. Depois, por conflitos que a levaram a ser capital catarinense. Na atualidade, no entanto, a cidade busca o seu desenvolvimento e tem espaço para crescer mais.

 

Economia

Até os anos 1970, a economia biguaçuense dependia da renda gerada no tripé agricultura, pesca e pecuária. Hoje o cenário é outro. A pesca, por exemplo, é praticamente irrelevante e cultivada apenas por pescadores artesanais.

A principal força de Biguaçu em termos econômicos vem da indústria, que gera a maioria dos empregos. Pode-se dizer que a base da economia vem das indústrias de plástico, que empregam muitos moradores na cidade.

Em segundo lugar, fica o comércio, em franca expansão em Biguaçu. O setor de jardinagem, cada vez mais forte nos últimos anos, também é relevante. Biguaçu é o maior produtor de grama de Santa Catarina e também de plantas para jardinagem. A indústria plástico é outro grande setor econômico do município.  

Por fim, a agricultura, não na mesma proporção do passado, também contribui para a economia de Biguaçu. O destaque fica para produção de arroz e hortaliças. 

E você sabia que a maior empresa de combustíveis do país, a Petrobras, possui uma distribuidora no município? Sim e, por conta disso, a cidade tem acesso a gás natural.

 

Infraestrutura

Biguaçu está a apenas 15 km de Florianópolis, capital de Santa Catarina e faz divisa com outros seis municípios do estado: Antônio Carlos, Governador Celso Ramos, Tijucas, Canelinha e São João Batista e São José.

A BR-101, importante corredor Rodoviário do país, corta a cidade de Biguaçu de norte a sul. De leste a oeste a cidade é cortada pela SC-407.

 

Turismo

Biguaçu tem uma série de atrações para quem quer apenas turistar. Entre as opções que mais podem agradar estão as praias de Biguaçu. A cidade tem recantos que não perdem em nada para a capital, por exemplo. 

Uma das praias mais populares é a de São Miguel. Quem aprecia o turismo rural vai gostar de conhecer Três Riachos.

Quem gosta de história pode conhecer bastante sobre SC em Biguaçu. A Igreja São Miguel Arcanjo, sobre a qual falamos no início do post, faz parte do Conjunto Arquitetônico Luso-Açoriano, junto do sobrado do Museu Etnográfico Casa dos Açores e do aqueduto.

Um passeio no Museu Etnográfico conta muito sobre a colonização açoriana. O espaço abriga diversas antiguidades, como artesanatos, fotografias, móveis e documentos.

Outro passeio que muito diz sobre a história de Biguaçu é uma visita ao Centro Cultural Casa do Barão. Construída em 1891, a Casa do Barão tem biblioteca virtual, salões de exposição e é sede da Academia Municipal de Letras.

 

Preservando o passado, escrevendo o futuro 

A história de Biguaçu é cheia de peculiaridades. Para quem gosta de mergulhar no passado, é um prato cheio de informações interessantes e curiosidades. Diversos pontos turísticos, como o Museu Etnográfico contam o que aconteceu no passado de Biguaçu.

Com sangue biguaçuense correndo nas veias, os fundadores da Construtora MTF admiram e valorizam a história da cidade. Por isso, eles resolveram criar um museu na loja de vendas do seu novo empreendimento, o MHaus.

Residencial e comercial, o MHaus vai revolucionar Biguaçu com suas torres de 90 metros de altura. Concebido para mudar a história da cidade, o MHaus valoriza o passado em enormes painéis na loja de vendas, que fica ao lado do canteiro de obras do empreendimento. 

Os painéis contam fatos históricos de Biguaçu e colocam os futuros moradores do condomínio em contato com as raízes da cidade.

Quer conhecer mais sobre Biguaçu? Então, visite a loja de vendas do MHaus. Das duas uma, ou você vai encontrar sua casa nova, ou no mínimo fazer um passeio bem interessante e diferente.

4 comentários em “Você conhece a história de Biguaçu?

  1. Quero fazer duas ressalvas. Uma primeira, é que a ilha da Madeira não faz parte do arquipélago dos Açores. Ela própria é sede do arquipélago da Madeira. Segundo, a Academia com sede no Casarão Born chama-se, não Academia Municipal, mas sim, Academia de Letras de Biguaçu.

  2. Muito interessante. Meu falecido pai é natural de Biguaçu, localidade de Três Riachos. E sempre falou da praia de São Miguel. Qualquer dia desses vou fazer um passeio por aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *