Biguaçu

Uma Biguaçu que você ainda não conhece: (re) descubra os atrativos da cidade catarinense

Biguaçu é um dos municípios mais antigos de Santa Catarina, mas não parou no tempo. Praias, rios, lugares históricos, economia forte e uma rica gastronomia são alguns atrativos da cidade.

No Século 18, Biguaçu chegou a ser capital de Santa Catarina. Nesse período, Portugal e Espanha brigavam por todo e qualquer centímetro do território brasileiro e o reino espanhol viu em Biguaçu um lugar estratégico.

Atualmente, a cidade pode até não ser mais a capital do estado, porém, está do ladinho dela e não perdeu sua importância. Se você não conhece a história de Biguaçu, recomendamos que leia o artigo de hoje. Se conhece e quer relembrar acontecimentos importantes da cidade, também.

Para promover esse incrível mergulho, abordamos curiosidades de Biguaçu. Também falamos do crescimento da região e apresentamos os atrativos da cidade. Por fim, explicamos porque a Construtora MTF resolveu investir na cidade.

No final da leitura, é provável que você queira morar ou investir em Biguaçu. E quem vive na cidade terá ainda mais razões para nunca deixar esse pedacinho do paraíso. A viagem está apenas começando. Siga a leitura!

 

História e curiosidades de Biguaçu

 

Os primeiros anos

O ano de 1747 marca o início da história de Biguaçu, quando os primeiros imigrantes portugueses, oriundos da Ilha da Madeira, assentaram na região. Assim que chegaram, eles se instalaram em São Miguel da Terra Firme, o primeiro nome do município.

Bastaram quatro anos, após o desembarque dos portugueses, para que Biguaçu ganhasse a sua primeira igreja, até hoje um dos grandes atrativos da cidade. Estamos falando da igreja de São Miguel Arcanjo, cuja história começa em 23 de janeiro de 1751.

Além da impressionante arquitetura açoriana e da importância histórica, o local abriga uma relíquia: um sino doado, em 1845, pelo Imperador Dom Pedro II.

 

Capital provisória

A informação está nos registros oficiais de Biguaçu. Durante cerca de dez meses, a cidade chegou a ser a capital de Santa Catarina. 

Isso ocorreu de 10 de outubro de 1777 a 2 de agosto de 1778, quando os espanhóis invadiram e ocuparam a antiga Desterro – antigo nome de Florianópolis – e os portugueses precisaram sair da cidade. 

Preocupado em não deixar a Capitania de Santa Catarina abandonada, o vice-rei de Portugal nomeou um militar, que representava a Coroa, e se refugiou em São Miguel da Terra Firme.

Somente após uma série de acordos a Coroa Portuguesa retomou a posse da Ilha e, assim, Desterro voltou a ser capital catarinense.

 

A independência de Biguaçu

Em março de 1833, a província resolveu elevar a então freguesia de São Miguel à vila e transformar Desterro em município. Apenas dois meses depois, São Miguel também passou a ser um município.

O ano de 1833 marca, também, a instalação da Câmara de Vereadores de Biguaçu, criada para administrar o novo município, que ainda se chamava São Miguel. 

Na segunda metade do Século 19, um povoado de colonos, que viviam à margem do Rio Biguaçu, ganha força e importância econômica. 

Em função disso, em 1894, a sede de São Miguel é transferida e, pouco tempo depois, o município passa a se chamar Biguaçu, a cidade em franco crescimento, que conhecemos hoje. 

 

A origem do nome Biguaçu

A origem do nome de Biguaçu é carregada de uma certa dose de controvérsias. Uma das teses indica que se trata de uma palavra indígena, que significa “Biguá Grande”.

O Biguá é um pássaro bastante comum na região, facilmente encontrado nas margens do Rio Biguaçu até hoje. O animal também é bem comum na capital.

O livro “Alto Biguaçu”, de 1988, escrito pelo padre Raulino Reitz, entretanto, tem uma explicação diferente. Segundo ele, o nome tem relação com uma árvore semelhante ao jambolão, cujo nome popular é “baguaçu”.

Uma terceira tese foi deixada pelo jornalista Ozias Alves Júnior, nativo de Biguaçu e que morreu de Covid-19 em 2021. Segundo um estudo desenvolvido por ele, em parceria com o professor Aryon Rodrigues, o nome deriva de “Guambygoasu”. 

Conforme a pesquisa, o termo era usado pelos antigos índios Carijós, que viviam na cidade, e significa “grande cerca de paus”.

 

Atrativos da cidade de Biguaçu

Biguaçu fica a apenas 15 minutos de Florianópolis, a capital de Santa Catarina. É vizinha de outros recantos da região, entre os quais Antônio Carlos, Governador Celso Ramos, Tijucas e São José.

Embora seja uma cidade pequena, possui uma economia considerável. Até 1970, dependia do tripé agricultura, pecuária e pesca. Atualmente, a indústria responde pela maioria dos empregos e o comércio também é forte.

Ótima localização, boa oferta de universidades, opções de lazer, como praias, restaurantes açorianos e lugares históricos são alguns dos atrativos da cidade.

O centro, por exemplo, é bem desenvolvido. Quem vive no local tem a disposição:

  • clínicas particulares
  • laboratórios médicos
  • policlínica pública
  • farmácias
  • consultório odontológico
  • supermercados
  • grandes bancos
  • padaria
  • pizzaria
  • oficinas
  • praça
  • marina

 

Maniacs Arena

A maior arena de esportes de areia do mundo é mais um dos atrativos de Biguaçu. Inaugurada recentemente, a Maniacs Arena Esportes de Areia fica no bairro Bom Viver.

O complexo esportivo tem 30 quadras para prática de diversos esportes de areia, como beach tennis, futevôlei e vôlei de praia. 

O espaço também tem food truck, playground, estacionamento com mais de 150 vagas, espaço para churrasqueira e conveniência.

 

Litoral e gastronomia

A gastronomia é outro destaque turístico e um dos maiores atrativos da cidade de Biguaçu. Quem gosta de pratos com frutos do mar tem uma infinidade de motivos para visitar a cidade.

A nossa principal indicação, para quem não conhece Biguaçu, é uma visita aos restaurantes do Balneário de São Miguel. O local, bastante requisitado no município, tem ainda uma praia calma e com água morna. 

Conforme os relatórios de balneabilidade do IMA-SC (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina) a praia é própria para banho.

Ao todo, o município tem 12 km de litoral marítimo. Outro balneário que merece uma visita é a Praia de Baixo. Quem prefere as maravilhas de uma cascata vai gostar da Cachoeira São Miguel e quem procura um parque aquático vai encontrar bastante diversão no Biguá-Açu. 

 

Atrações histórico-culturais

Biguaçu também se destaca pelos atrativos histórico-culturais, que ajudam a contar a história de Santa Catarina. O Conjunto Arquitetônico Luso-Açoriano é um dos melhores exemplos.

Trata-se de um patrimônio tombado e que é formado pelo sobrado do Museu Etnográfico Casa dos Açores, pela Igreja São Miguel Arcanjo e pelo aqueduto.

A Casa dos Açores, onde está o Museu Etnográfico, é capaz de promover uma verdadeira viagem pela história açoriana. No local, estão peças que contam e resguardam os traços da cultura açoriana, como:

  • artesanato
  • fotografias
  • antiguidades
  • acervo de móveis
  • documentos históricos
  • biblioteca especializada
  • miniaturas de engenhos de farinha

Além de preservar a história da região, o museu é um passeio no tempo por meio de objetos, roupas e documentos que remontam ao período da colonização. As árvores frutíferas, no entorno do museu, tornam a experiência ainda mais incrível e marcante.

Crescimento da região

A economia de Biguaçu, atualmente, está baseada na indústria do plástico. O comércio também é responsável por boa parcela dos empregos. No agronegócio, a cidade desponta como maior produtora de grama e plantas de jardim em Santa Catarina. Além disso, produz arroz, hortaliças e pescados.

A construção civil é o setor que mais gera empregos. Também se destacam as MPEs (Micro e Pequenas Empresas), além de um comércio dinâmico e diversificado. Por isso, investir em Biguaçu é sinônimo de sucesso.

Entre 2010 e 2020, Biguaçu foi o 15º município catarinense onde mais empresas foram abertas. Hoje, é o 16º município do Estado em geração de empregos e a 25ª economia de SC. Em pleno desenvolvimento, a cidade vem recebendo investimentos das iniciativas pública e privada.

 

A história da MTF em Biguaçu

A Construtora MTF apostou em Biguaçu por mais de um motivo. Além dos atrativos da cidade, que trazem cada vez mais moradores e investidores, a construtora entende que o município tem muito potencial para se desenvolver. Resultado: vai valorizar ainda mais seus novos empreendimentos.

Foi pensando justamente no desenvolvimento da cidade que a família Müller, proprietária da Construtora MTF, investiu na região. A ligação dos Müller com Biguaçu também remonta ao passado. Os avós maternos e paternos de Thiago Müller, proprietário da construtora, eram donos das terras onde atualmente está sendo construído o MHaus, o maior condomínio residencial e comercial da Grande Florianópolis

Essa ligação com o passado do município explica porque a família Müller deseja e trabalha para que Biguaçu seja cada vez mais valorizada e moderna. O foco da MTF é que a cidade seja referência na Grande Florianópolis e o MHaus é apenas o primeiro pilar deste projeto.

O empreendimento vem para promover uma nova centralidade em Biguaçu e região. No plantão de vendas do MHaus, a construtora deu vida a um museu que conta a rica história da cidade, desde 1748, quando os primeiros imigrantes chegaram. 

O espaço também projeta como Biguaçu será no futuro graças, inclusive, ao MHaus. O plantão está na avenida Marcondes de Mattos, no Centro, e tem corretores atendendo diariamente, das 9h às 19h.

Gostou da leitura? Continue navegando no blog da MTF para conhecer as belezas de Santa Catarina e ficar por dentro das novidades do mercado imobiliário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *